Keynote Speakers

Joanna Drugan (Universidade de East Anglia, Norwich, Reino Unido)

Joanna Drugan
Professora de Tradução na Universidade East Anglia, Norwich, Reino Unido

A sua investigação centra-se na qualidade, na ética e nas tecnologias da tradução. É a investigadora principal do projeto de investigação Transnational Organized Crime and Translation [Crime Organizado Transnacional e Tradução], financiado conjuntamente pelo Conselho de Investigação em Ciências Económicas e Sociais (ESRC) e oConselho de Investigação em Artes e Humanidades (AHRC). Além disso, os seus interesses atuais situam-se nos desafios éticos do mundo real, quando tradutores e intérpretes profissionais não se encontram disponíveis, particularmente em contextos de polícia, serviços de saúde e serviços sociais, e nas formas através das quais a política, a formação e a tecnologia podem apoiar profissionais e utilizadores de serviços. Jo fundou o Fórum de Pesquisa sobre Ética da UEA [Universidade East Anglia] em 2013, onde assume a posição de Vice-presidente. É membro dos Grupos Diretores da Rede de Pesquisa de Migração da UEA, do Fórum de Métodos de Pesquisa Qualitativa e da iniciativa Univeristy of Sanctuary [Universidade de Refúgio]. Em 2019, foi eleita Vice-presidente (Investigação) do Conselho Universitário de Línguas Modernas e recebeu o prémio Comemorativo John Sykes pelo Instituto de Tradução e Interpretação devido à sua contribuição de longa data para as profissões de tradução e interpretação. Atualmente, orienta doutoramentos relacionados com a profissão de tradutor, as línguas e a exclusão social, a ética da tradução e respostas a tradutores e tradutores.

Publicações recentes:

  • Untranslatability in Practice: Challenges to Translation and Interpreting, in Untranslatability: Interdisciplinary Perspectives, D. Large et al. (Eds.)
  • Translation Quality, Quality Management and Agency: Principles and Practice in the European Union Institutions (Joanna Drugan, Ingemar Strandvik and Erkka Vuorinen), in Translation Quality Assessment: From Principles to Practice, J. Moorkens et al. (Eds.)
  • Translation in Superdiverse Legal Contexts (Joanna Drugan and Krzysztof Kredens), The Routledge Handbook of Language and Superdiversity
  • Ethics and Social Responsibility in Practice: interpreters and Translators Engaging with and beyond the Professions, The Translator

Deisimer Gorczevski (Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, Brasil)

Deisimer Gorczevski
Professora na Universidade Federal do Ceará, Fortaleza

Realiza estudos com ênfase na cartografia de intervenções urbanas e audiovisuais com as ruas, praças e praias, entre outros espaços comuns, na perspectiva de ampliar às escutas e analises de como os moradores vivem, convivem e resistem ao descaso do poder público, às constantes ameaças das políticas de remoção e a intensificação da especulação imobiliária, em especial, na cidade de Fortaleza, uma das cidades mais desiguais do Brasil e da América Latina.

Coordena o Programa de Pós-Graduação em Artes (http://www.ppgartes.ufc.br/) na Universidade Federal do Ceará e o Laboratório Artes e Micropolíticas Urbanas – LAMUR  (https://www.facebook.com/lamurufc/)  onde realiza as pesquisas: Fortalezas Sensíveis e Cinema In(ter)venção: Cine Ser Ver Luz  (https://cineclubeserverluz.wordpress.com/  https://www.facebook.com/cineclubeserverluz) com o objetivo de tornar visíveis as singularidades de habitar espaços esquecidos, zonas opacas da cidade, ao mesmo tempo, vivas e intensas trazendo à tona problemas e potencialidades, afirmando o lugar de moradia, os espaços de participação comunitária, as práticas artísticas e a produção audiovisual como política  de resistência. Participou da pesquisa “Migraciones transnacionales, recepción mediática y ciudadanía de latinoamericanos y europeos en los contextos urbanos Barcelona  y Porto Alegre”  (2004 a 2008) projeto internacional sobre recepção midiática e cidadania das migrações internacionais.Atualmente orienta pesquisas de pós-graduação com ênfase em processos de criação e micropolíticas urbanas, intervenções audiovisuais, práticas coletivas e colaborativos e metodologias de pesquisa em artes.

Publicações Recentes:

  • Arte que inventa afetos. (Organizadora)1. ed. Fortaleza: Imprensa Universitária – UFC, 2017. 376p . Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/15857 
  • ConversAções: encontros entre as artes, a cidade e a universidade ( em coautoria João Miguel Diógenes de Araújo Lima. Revista Vazantes, v. 1, p. 96-113, 2017. Disponível em: http://periodicos.ufc.br/vazantes/article/view/20499
  • Nossas Ruas com Cinema – Cine Ser Ver Luz [Livro_Catálogo]. (Organizado com Maria Fabiola Gomes, Sabrina Araújo, Pedro Fernandes, Priscilla Souza e Gerardo Barcelos) e  1. ed. Fortaleza: Imprensa Universitária, 2017. v. 1. 96p .
  • Pesquisa em perspectiva: percursos metodológicos na invenção da vida e do conhecimento. (Organizado com Deise Juliana Francisco e Karla Rosane do Amaral Demoly)  1. ed. Mossoró: Editora UFERSA, 2014

Gábor Gyulai (Comissão Helsínquia Húngara)

Gábor Gyulai
Diretor do Programa de Refugiados na Comissão Helsínquia Húngara

Gaia Giuliani (Universidade de Coimbra, Portugal)

Gaia Giuliani
Centro de Estudos Sociais, Universidade de Coimbra

Gaia Giuliani é investigadora permanente do CES (2018-), Professora Associada em Filosofia Política (Itália: ASN 2017), membro fundador de InteRGRace – Interdisciplinary Research Group on Race and Racisms (2014-) e membro dos Conselhos Cientificos da revista internacional Socioscapes. International Journal of Societies, Politics and Cultures, da revista internacional baseada em Itália StudiCulturali  e da revista internacional online baseada em Itália Europeansouth. Doutorou-se na Universidade de Turim (2005) e realizou pós-doutoramentos na Universidade de Bolonha (2007-2009), na Universidade de Tecnologia de Sydney (2009-2010) e no Centro de Estudos Sociais (CES) – Universidade de Coimbra (PT) (2015-2018). Foi assistente de investigação em Teoria Política e Estudos Coloniais e Pós-coloniais, no Departamento de Ciência Política e Social (2009-2015) da Universidade de Bolonha. No âmbito de seu ensino no curso de Estudos coloniais e pós-coloniais recebeu em 2009 o prémio de excelência no ensino universitário de parte da representaria da Universidade de Califórnia na Universidade de Bolonha. Foi orientadora universitária [undergraduate supervisor] para o curso em “Race, Ethnicity and Racism” no Departamento de Sociologia da Universidade de Cambridge (2014-2015). Os seus interesses de investigação centram-se, a partir de uma perspetiva interseccional, na construção visual de raça e de branquitude nos processos de construção das nações britânica e italiana e nas experiências coloniais nos Estados Unidos, no Pacífico e na Europa pós-colonial. A investigação que realiza no CES (2015-) visa uma análise crítica do discurso em textos que codificam a monstruosidade racializada e genderizada e o ‘medo de catástrofes e crise’ e os seus impactos tanto simbólicos como materiais no contexto da guerra ao terror, das chamadas crises dos migrantes e refugiados e da auto-representação da Europa e do Ocidente. A sua metodologia cruza Filosofia Política, Estudos Críticos de Raça e de Branquitude, Teoria Pós-colonial, Estudos Culturais e de Género e centra-se na análise de materiais visuais. Em 2018, teve início o projeto FCT que coordena como PI: “(DE)OTHERING: Desconstruindo o Risco e a Alteridade: guiões hegemónicos e contra-narrativas sobre migrantes/refugiados e ‘Outros internos’ nas paisagens mediáticas em Portugal e na Europa” (2018-2121): POCI-01-0145-FEDER-029997.

Publicações recentes:

  • “Beyond curiosity. James Mill e la costruzione del governo coloniale britannico in India” (Aracne, 2008);
  • “Bianco e nero. Storia dell’identità razziale degli italiani”, em coautoria com Cristina Lombardi-Diop (Le Monnier, 2013), estudo galardoado com o Primeiro Prémio 2014, na categoria séculos XX e XXI, atribuído pela Associação Americana de Estudos Italianos (AAIS);
  • “Il colore della nazione” (Le Monnier, 2015);
  • “Zombi, alieni e mutanti. Le paure dall’11 settembre a oggi” (Le Monnier, 2016).
  • “Race, Nation, and Gender in Modern Italy: Intersectional Representations in Visual Culture” (Palgrave Macmillan) estudo finalista do Prémio Gadda (Edimburgo) 2019, na categoria Estudos Culturais.
  • Em 2020, irá publicar a monografia “Environmental Disasters, Migrations and the War on Terror: A Postcolonial Investigation of Cultural Constructions of Monstrosity” (Routledge).

Maribel del Pozo Triviño (Universidade de Vigo, Espanha)

Maribel del Pozo Triviño*
Universidade de Vigo

Maribel del Pozo Triviño é doutorada em Tradução e Interpretação (T&I) e é tradutora-intérprete juramentada no par de línguas EN-ES. Trabalhou como tradutora e intérprete durante vários anos e é professora na Universidade de Vigo (Espanha) há mais de dezoito anos, onde leciona os níveis de licenciatura e pós-graduação.  Atualmente é coordenadora internacional na Faculdade de Filologia e Tradução.
Publicou extensivamente sobre diferentes aspetos da tradução jurídica e serviços públicos em T&I e está atualmente envolvida em vários projetos de investigação nessas áreas. A sua investigação mais recente centra-se no impacto das barreiras linguísticas e culturais em mulheres migrantes e refugiadas vítimas de violência baseada em género. Coordenou o projeto financiado pela UE, “Speak Out for Support” (SOS-VICS), focado na formação de intérpretes para trabalhar com vítimas de violência de género nos diferentes contextos (legal, social, saúde, etc.). Além disso, é membro de vários grupos de investigação e de associações profissionais. 

Linkterpreting: http://linkterpreting.uvigo.es/

SOS-VICS: http://sosvics.eintegra.es/

Monika Schmid (Universidade de Essex, Reino Unido)

Monika Schmid*
Professora de Linguística na Universidade de Essex, Reino Unido

Monika Schmid é Diretora do Departamento de Línguas e Linguística da Universidade de Essex. Obteve o seu Doutoramento em Linguística Inglesa em 2000 pela Universidade Heinrich-Heine de Düsseldorf, com a tese First Language Attrition, Use and Maintenance: the case of German Jews in Anglophone Countries [Erosão da Primeira Língua, Uso e Manutenção: o caso dos judeus alemães em países anglófonos]. Desde então ocupou cargos na Universidade Vrije, em Amsterdam, e na Universidade Rijksuniversiteit, Groningen. Desde setembro de 2013, é Professora de Linguística na Universidade de Essex. O seu trabalho tem-se centrado em vários aspetos da erosão da primeira língua. Publicou duas monografias e editou vários volumes e edições especiais de revistas sobre esta temática, mais recentemente o Oxford Handbook of Language Attrition (2019). Recebeu financiamento de várias fontes pelo seu trabalho, incluindo a fundação Deutsche Forschungsgemeinschaft, a Fundação Nacional de Ciências da Holanda (NWO) e o Conselho de Investigação em Ciências Económicas e Sociais (ESRC).

Website: https:/languageattrition.org

Facebook: www.facebook.com/languageattrition

Twitter: @MonikaSSchmid


* = colaboradores externos do grupo de investigação EHum2M