Sessões de Abertura e Encerramento

Gabor Gyulai (Comissão Helsínquia Húngara)

Gabor Gyulai
Diretor do Programa de Refugiados na Comissão Helsínquia Húngara

Gábor é o diretor do Programa de Refugiados do Comité Húngaro de Helsínquia (uma ONG líder em direitos humanos na Europa Central, vencedora de vários prémios internacionais em direitos humanos, incluindo o prestigiado Prémio Gulbenkian de 2017 em Portugal). Gábor tem quase duas décadas de experiência profissional no campo da migração forçada; os seus interesses profissionais particulares são a avaliação de evidências e credibilidade em procedimentos de asilo; questões interdisciplinares (psicológicas, interculturais, linguísticas e de género) relacionadas com o asilo; salvaguardas de direitos humanos relativas à detenção de migrantes; nacionalidade e apatridia; bem como métodos inovadores de treinamento, comunicação e capacitação no campo dos direitos humanos e da migração forçada. Ele tem pesquisado e publicado extensivamente sobre essas questões. Gábor é um instrutor internacional apaixonado: nos últimos dez anos, teve o privilégio de ensinar mais de três mil advogados, juízes, administração pública e agentes policiais, jornalistas, professores, trabalhadores de ONGs e funcionários da Agência de Refugiados da ONU (ACNUR) de todos os continentes do mundo, sobre vários tópicos relacionados com asilo, migração e apatridia. Gábor também é presidente e membro fundador da Rede Europeia de Apatridia (ENS), um especialista listado na Rede Europeia de Treinamento Judiciário (EJTN), um especialista externo do Gabinete Europeu de Apoio ao Asilo (EASO) em avaliação de evidências e doutorando na Universitat Pompeu Fabra em Barcelona.

Publicações:

Grian Cutanda (Universidade de Granada, Espanha)

Grian Cutanda
Univsersidade de Granada, Espanha

Grian é um autor espanhol de êxito internacional – El jardineiro (Edições Obelisco, 1996) – com 15 livros publicados (ficção e ensaio), e traduzido para 12 línguas. É também psicólogo, educador, investigador, ativista e tradutor. Doutorado Summa cum Laude em Ciências da Educação, está ligado desde 2015 como investigador e professor à Universidade de Granada (Espanha). A sua investigação centra-se na educação na visão do mundo (worldview education) e nos contos tradicionais como ferramenta multicultural para a transmissão de uma visão do mundo sistémico-complexa, assim como nos princípios e valores da Carta da Terra. Fundador do The Avalon Project – Initiative for a Culture of Peace, lidera um projeto global duplo, em associação com o Scottish International Storytelling Festival e o Secretariado Internacional da Carta da Terra, da Universidade para a Paz das Nações Unidas:

  • The Earth Stories Collection (TESC), um banco global de contos tradicionais capazes de transmitir uma visão do mundo sistémica, holística e ecológica, e
  • The Earth Story Tellers, uma rede global de ativistas do storytelling ligados ao TESC e à Carta da Terra.

Enquanto ativista, Grian foi um dos principais organizadores da campanha pelo clima em Edimburgo, Escócia, em 2014 e 2015, e um dos primeiros impulsionadores do movimento Extinct Rebellion (XR) em Espanha e no México. Fez também parte do XR Internacional como elo de ligação regional com a América Latina.

Publicações recentes:

  • Changing worldviews through traditional stories and the Earth Charter; The Secret of Dreaming: Introducing systems thinking and worldview. In Moltan-Hill, P. & Luna, H. (eds.), Storytelling and Sustainability. Routledge: London 2020.
  • The Earth Stories Collection: How to Make Another World Possible with Myths, Legends and Traditional Stories. TESC Press: Granada 2019.
  • Analysis of mythical-metaphorical narratives as a resource for education in the principles and values of sustainability [together with Professor María Ángeles Murga-Menoyo]. Journal of Teacher Education for Sustainability 16(2), 18-38, 2014.
  • El sabio enamorado y el jardín del Califa [The Sage in Love and the Caliph’s Garden]. (together with M. Pimentel). Editorial Almuzara: Cordoba, 2014.

Website: https://avalonproject.org/es/

Twitter: @Grian333

Facebook: Grian A. Cutanda

Bruna Kadletz (St. Ethelburga’s: Centro para Reconciliação e Paz)

Bruna Kadletz
Universidade de Edimburgo

Bruna Kadletz é autora, facilitadora e ativista humanitária. Ela é a idealizadora e cofundadora do Círculos de Hospitalidade, organização que desenvolve projetos educacionais, culturais e sociais voltados para pessoas refugiadas e imigrantes em Florianópolis e região, no Brasil. Bruna tem mestrado em Sociologia e Mudança Global pela Universidade de Edimburgo, na Escócia, e é associada do St. Ethelburga’s: Centro para Reconciliação e Paz, em Londres, Inglaterra. A autora acredita na necessidade de alinharmos corações, mentes e mãos a fim de colocarmos nossos princípios em prática e darmos vida a uma forma mais inclusiva e amorosa de nos relacionarmos com o planeta e uns com os outros. 

Sobre o documentário “Minha terra mora em mim”

Uma produção da Yellow Asylum Films em associação com o Tony Ryan Trust, essa meditação fílmica foi dirigida por Alan Gilsenan e escrita por Bruna Kadletz. O documentário, no estilo “film essay”, foca na crise global dos refugiados e busca oferecer uma perspectiva pessoal e espiritual para a pior crise humanitária dos nossos tempos. A obra viaja de Florianópolis, no sul do Brasil, para a região amazônica, Europa, Oriente Médio e Norte da África. Com um olhar intimista, o documentário revela as necessidades de populações forçadas a se deslocar e reflete sobre nosso local de resposta à crise. Na perspectiva da autora, compreende-se espiritualidade como um senso de conexão com um todo maior que o indivíduo, que é acompanhado por uma qualidade de consciência que reconhece o poder transformativo do alinhamento do trabalho interior com ação de impacto no mundo. Esta história convida as pessoas a ouvirem o chamado dentro de seu coração para que possam engajar com a temática do deslocamento forçado mais profundamente.  

Website: https://www.brunakadletz.com/

Facebook: Bruna Kadletz

Carlos Estêvão (Universidade do Minho / Universidade Católica

Carlos Estêvão
Universidade do Minho / Universidade Católica Portuguesa

Carlos V. Estêvão é professor catedrático e doutorado em Educação. Leccionou várias unidades curriculares relacionadas com os direitos humanos, com destaque para Educação, Direitos Humanos e Cidadania, na Universidade do Minho, e para Religião e Tolerância: Desafio Educativo, no Doutoramento de Estudos da Religião da Universidade Católica Portuguesa.

Publicou perto de 150 trabalhos científicos, sobressaindo, nos últimos tempos, a área temática dos direitos humanos e da justiça social.

Foi leitor da Cátedra UNESCO, da Universidade Católica de Brasília, participando em eventos sobre direitos humanos e apoiados por aquela entidade.

Proferiu mais de meia centena de conferências/palestras em reuniões científicas organizadas no país e no estrangeiro e desenvolveu a sua actividade de investigação em áreas próximas das temáticas de educação, justiça, direitos e democracia.

Participou, ainda, em projectos de intervenção comunitária e formação, organizados pelas universidades a que pertenceu e a que presentemente está vinculado e por outras entidades.

Foi membro fundador do Movimento por um Mundo Melhor (MMM). Criou e coordenou o Núcleo de Educação para os Direitos Humanos do Instituto de Educação da Universidade do Minho.

Algumas publicações:

  • ESTÊVÃO, Carlos V. (2012). Políticas e valores em educação . Repensar a educação e a escola pública como um direito. V. N. Famalicão: Húmus.
  • ESTÊVÂO, Carlos V. (2015). Direitos humanos, justiça e educação em tempos anormais.  Ijuí: Editora Unijuí.
  • ESTÊVÃO, Carlos V. (2015). Tempos anormais, novas fantasias. Novas tendências em direitos humanos, justiça e educação. Revista Portuguesa de Educação, vol 28, nº 2, pp. 7-29.
  • ESTÊVÃO, Carlos V. (2018). Direitos humanos e educação em tempos de desassossego. Sisyphus- Journal of Education, vol. 6, nº 1, pp. 10-21.
  • ESTÊVÃO, Carlos V. (2018). Educação para os direitos humanos: uma proposta crítica. Studio Historica. História Contemporánea, vol. 36, pp. 161-170. Ediciones Universidade Salamanca. http://revistas.usal.es/index.php/0213-2087/issue/view/shhc201836 ISSN: 0213-2087 e ISSN: 2444-7080.