Galabra-UMinho

Grupo da Rede Galabra da Universidade do Minho

O Grupo Galabra-UMinho desenvolve fundamentalmente trabalho sobre discursos e práticas culturais na comunidade, centrando-se, de maneira especial, nas comunidades de língua portuguesa.

O grupo aplica procedimentos metodológicos de caráter quantitativo e qualitativo (PLN, lexicometria, mineração de textos, visualização da informação, imagologia, etc.) em trabalho de campo e de corpus, sobre a base das teorias sistémicas, de campo, de análise de redes e empíricas, com desenvolvimento próprio e adaptado às diferentes realidades do âmbito de pesquisa do grupo.

O Galabra-UMinho norteia-se pelo compromisso social e autonomia investigadora, entendendo, deste modo, a investigação como um serviço público. Os objetivos do Grupo Galabra-UMinho perseguem dar respostas às necessidades da comunidade local (coesão, bem-estar, sustentatbilidade, etc).

O Grupo Galabra-UMinho pretende avançar na investigação fundamental, desenvolvendo e aplicando novos métodos e instrumentos para a análise da língua e da cultura bem como reproduzindo, avaliando resultados e, eventualmente, produzindo resultados diferentes àqueles a que se chegaram noutros trabalhos produzidos, utilizando as mesmas orientações metodológicas e os mesmos corpora, prática, aliás, pouco frequente na nossa área.

O Grupo Galabra-UMinho faz parte da Rede Galabra, participada por outros grupos e investigadores na Galiza, em Portugal e no Brasil. No âmbito da Rede Galabra, o trabalho do Grupo centrar-se-á, inicialmente, em projetos de investigação que pretendem contribuir para projetos relacionados com o património linguístico-cultural e o turismo, âmbitos em que a Rede Galabra já tem experiência, com projetos finalizados e projetos em curso.


Eventos:

I COLÓQUIO INTERNACIONAL GALABRA. Tecendo Rede. Sentidos, aplicações e cooperação na investigação em ciências humanas e sociais (Braga, 9 e 10 de janeiro de 2017)

  • Idalete Dias (UMinho): Criação de Curso de Mestrado em Humanidades Digitais: Problemas e Desafios
  • Deolinda Gonçalves de Freitas (UMinho): Impacto do Caminho de Santiago em Chaves. Perspetiva Cultural
  • Carlos Pazos Justo (UMinho): Contributos e reflexões para análise das imagens enquanto discursos de representação
  • Álvaro Iriarte S. (UMinho): Sobre ombros de gigantes: revisitar alguma produção galabriana
  • Alberto Simões (IPCA): Dicionarística e Preservação digital

Participação em evento do Laboratório de Paisagem, Património e Território [Lab2PT](Braga, 14-16 de dezembro de 2017).

  • Idalete Dias (UMinho): Preservar o Património Cultural Imaterial no contexto das Humanidades Digitais
  • Álvaro Iriarte S. (UMinho): Narrativas e usos culturais: Santiago e o Caminho

Projetos

Aplicação de expressões multipalavra na construção de recursos para a gestão do turismo no Caminho Português, Investigador Responsável Álvaro Iriarte [submetido à FCT]


Coordenador:
Álvaro Iriarte S.

Membros:
Investigadores seniores:
Álvaro Iriarte S. [cv]; Alberto Simões [cv]; Carlos Pazos [cv]; Idalete Dias [cv]
Investigadores juniores:
Bernardo Sacanene; Deolinda Gonçalves de Freitas; Gonçalo Nuno Lousada Martins
Colaboradores:
Elias J. Torres Feijó (Univ. de Santiago de Compostela) [cv]; Pablo Gamallo Otero (Univ. de Santiago de Compostela) [cv]; Roberto Samartim (Univ da Corunha) [cv]; Zósimo López (Univ. Internacional de La Rioja) [cv]