INTCULTPOET

Poéticas Interculturais: Figurações Literárias do Outro - Português e Anglo-Americano


Membros:
Investigador responsável: Paula Alexandra Varanda Ribeiro Guimarães.
Membros douturados CEHUM Ciências da Literatura: Isabel Pinto Mateus, Maria do Carmo Cardoso Mendes e Paula Alexandra Guimarães.
Membros doutorados CEHUM Ciências da Cultura: Jaime José Becerra Costa.
Colaboradores de outras universidades: Gabriela Gândara Terenas, Reinaldo Silva, Maria da Conceição Castel-Branco, Maria do Rosário Lupi Bello, Patrícia McNeill.

Descrição do Grupo de Pesquisa:

A presente proposta de investigação surge na sequência de trabalho já realizado em parte e enquadra-se no domínio dos estudos literários interculturais comparados e, mais especificamente, na recente subárea da imagologia literária (estudos da imagem), isto é, da representação literária de países e povos estrangeiros, ou seja, do ‘Outro’. Esta proposta torna-se, assim, pertinente no actual contexto de globalização e multiculturalismo, em que as questões da identidade, alteridade e representação têm assumido um papel cada vez mais importante nas ciências sociais e humanas; e em que, em particular, as construções estéticas de uma auto-imagem ou de uma hetero-imagem têm começado a ser extensivamente problematizadas.

Os membros da equipa de investigação têm, com diferente grau de envolvimento, dedicado grande parte do seu tempo a questões relacionadas com a ‘representação’ intercultural e a imagem do ‘outro’, assim como a aspectos da recepção literária em outros países. Todos os membros da equipa possuem formação avançada ao nível do doutoramento e especialização ao nível das áreas principais de investigação, isto é, nos Estudos Portugueses, nos Estudos Ingleses e Norte-Americanos e nos Estudos Anglo-Portugueses. Estes últimos, em particular, estarão mais vocacionados para fazer a necessária ‘ponte’ ou ligação entre as outras duas áreas, tendo já uma experiência considerável nos estudos comparados e também um volume de publicações correspondente.

Paula Guimarães, especializada na poesia inglesa do século XIX e nomeadamente nas formas de diálogo literário, dedicou os seus mais recentes trabalhos a representações de Portugal, sua história e cultura, na poesia feminina inglesa oitocentista. Gabriela Terenas, especialista em estudos anglo-portugueses de literatura e cultura, tem dedicado o seu tempo a investigar a poesia, a narrativa e a imprensa portuguesas e britânicas relativas ao período da Guerra Peninsular. Reinaldo Silva, investigador na área dos estudos norte-americanos e dos estudos comparados, tem inúmeras publicações relativas a representações de Portugal e dos portugueses na literatura norte-americana, sendo esta também a sua especialização. Maria da Conceição Castel-Branco, especialista na área dos estudos anglo-portugueses, tem elaborado os seus trabalhos na área da tradução e também da representação, nomeadamente representações de figuras portuguesas na literatura inglesa. Patrícia McNeill, investigadora na área dos estudos anglo-portugueses e comparados, tem desenvolvido trabalho acerca da história intelectual do século XIX e acerca da poesia portuguesa. Isabel Mateus investiga a literatura portuguesa dos séculos XIX e XX, em especial a narrativa portuguesa e comparada. Maria do Carmo Mendes trabalha a narrativa portuguesa do século XIX, assim como os estudos culturais comparados. Maria do Rosário Bello, especialista em Teoria da Literatura e narratologia, tem trabalhos sobre a representação de figuras inglesas na literatura portuguesa.


Estrutura organizativa do Grupo de Pesquisa:

A estrutura de gestão reflete a divisão do grupo em quatro subgrupos de trabalho independentes, em função das tarefas de investigação que foram inicialmente estipuladas. Assim, Gabriela Gândara Terenas é a coordenadora da Tarefa 1, que pesquisa as representações da Grã-Bretanha e dos EUA na poesia portuguesa do século XIX. A Tarefa 2, que analisa as representações da Grã-Bretanha e dos EUA na narrativa literária portuguesa, é coordenada por Maria do Carmo Mendes. A Tarefa 3, respeitante à análise das representações de Portugal na poesia anglo-americana do século XIX, é coordenada por Paula Guimarães. Por fim, Reinaldo Silva coordena a Tarefa 4, a representação de Portugal na narrativa literária anglo-americana. Os vários níveis de reporting terão uma periodicidade trimestral ou semestral: os respectivos coordenadores de subgrupo informarão o coordenador principal se as respectivas tarefas estão a decorrer conforme planeado. A verificação do cumprimento do plano é feita em datas que constituem marcos da investigação.

Subgrupo 1: Figurações do ‘Outro’ em Representações da Grã-Bretanha e dos EUA na Poesia Portuguesa do Século XIX.

Subgrupo 2: Figurações do ‘Outro’ em Representações da Grã-Bretanha e dos EUA na Narrativa Literária Portuguesa do Século XIX.

Subgrupo 3: Figurações do ‘Outro’ em Representações de Portugal e dos Portugueses na Poesia Anglo-Americana do Século XIX.

Subgrupo 4: Figurações do ‘Outro’ em Representações de Portugal e dos Portugueses na Narrativa Literária Anglo-Americana do Século XIX.

Neste estudo, todos os subgrupos de investigação estarão atentos a certos aspectos comuns no tocante quer às representações 1) do outro país quer 2) do outro povo. Assim, no que respeita a primeira vertente, ter-se-ão em conta observações relativas à geografia, paisagem e clima do país, à sua história e respectivos protagonistas, às suas tradições e costumes, aos seus credos e moral, à sua organização social, à sua cultura e a questões de mobilidade provocada por conflitos, comércio ou turismo. No que concerne a segunda vertente de análise comum, os investigadores procurarão aquelas representações literárias que se reportam sobretudo às características dos habitantes, nomeadamente aspecto físico, formas de vestir, atitudes e personalidade, educação e relações interpessoais.

As várias atitudes e sentimentos detectados nas representações encontradas serão, posteriormente, divididos em imagotipos positivos e imagotipos negativos. No primeiro tipo, incluir-se-ão sentimentos como a curiosidade, a admiração, a idealização ou a emulação do ‘outro’, assim como a atracção pelo exotismo ou a sofisticação/civilização do mesmo. No segundo tipo, encontraremos sentimentos e ou atitudes de indiferença, condescendência, distanciamento, estranhamento, preconceito, abjecção e xenofobia em relação ao ‘outro’. Algumas destas imagens poderão ser passageiras ou efémeras, mas outras encontrar-se-ão profundamente enraizadas nas culturas respectivas. Em alguns casos, estes sentimentos serão bem mais explícitos ou, pelo contrário, mais subtis e indirectos, devido quer à personalidade e circunstâncias pessoais do escritor em questão quer ao próprio estilo de escrita por ele escolhido.

Ordenação das tarefas principais do grupo de investigação:

1. Pesquisa bibliográfica e em linha (online) do corpus textual;

2. Listagem e criação de um arquivo web de todas as referências encontradas;

3. Discriminação e catalogação das referências segundo imagem-tipo;

4. Organização final dos diversos ‘imagotipos’ nas diferentes literaturas;

5. Estudo e análise pormenorizados dos resultados gerais e particulares e do corpus textual encontrado;

6. Extracção e elaboração de conclusões definitivas acerca das diversas representações;

7. Apresentação e divulgação de resultados (globais e particulares);


Objetivos de Grupo de Pesquisa:

Este grupo de investigação pretende analisar as diferentes formas como o ‘Outro’, entendido quer como país estranho quer como povo estranho, é reciprocamente representado em certas obras poéticas e narrativas da literatura anglo-americana e portuguesa do século XIX. Esta escolha temporal explica-se por ser este um período de grandes mudanças relativamente à forma como se encara aquilo que é diferente ou estranho devido a uma nova e, por vezes, forçada mobilidade causada por recorrentes conflitos armados ou sociais e também pela grande expansão comercial e colonial que caracterizou a época de oitocentos.

Um dos seus objectivos principais é analisar de forma rigorosamente documentada, e de uma perspectiva quer anglo-americana quer portuguesa, as representações literárias de Portugal, da Grã-Bretanha e dos EUA nesse confronto intercultural, feito de sinergias e fricções, resultante do contacto intelectual, político e económico entre estes povos no decorrer do século dezanove. Noções de ignorância ou de estranhamento cultural estarão envolvidas quer na análise da idealização poética do ‘Outro’, a respectiva nação e o seu povo, como remoto, idílico ou exótico, quer no estudo de estereótipos enraizados (Plous, 2003), incluindo preconceitos contra formas de religião, género, governação política e hábitos e costumes sociais, que subjazem a certos textos literários. Tanto as representações documentadas mais favoráveis como as francamente desfavoráveis serão estudadas, quer em textos de cariz mais sério quer em textos satíricos, escritos em inglês e/ou em português, assim como em poesia ou ficção.

Outra preocupação central do trabalho de investigação será o de comparar detalhadamente descrições literárias mais antigas de Portugal, da Grã-Bretanha e dos EUA como nações, e dos portugueses, britânicos e americanos como povos, com retratos e imagens mais recentes, de autores do final do século e da transição para o século vinte. Isto será feito com vista a detectar uma eventual e previsível mudança ou evolução na apreciação cultural e artística que sobressai das respectivas representações e, sempre que pertinente, em comparação com outras manifestações artísticas (nomeadamente, a música e as artes visuais, incluindo a caricatura), assim englobando os maiores movimentos artísticos do período.

Os dois pólos de análise deste ‘encontro anglo-português’ assumirão posições quer como nação observadora quer observada, isto é, quer a representação feita quer a análise crítica da mesma será perspectivada bilateralmente. Embora os subgrupos de investigação (quatro) estejam centrados na análise de apenas uma das partes do corpus textual (poesia/ romance, textos portugueses/ anglo-americanos), no final deste processo os resultados obtidos serão partilhados, comparados e sistematizados. Um dos objectivos deste trabalho de confrontação é tirar conclusões acerca do contributo das literaturas nacionais deste período, nomeadamente a anglo-americana e a portuguesa, para a perpetuação de certos estereótipos culturais e também para o estabelecimento das bases conceptuais daquilo que designamos genericamente como ‘cultura europeia e ocidental’.

Esperamos ser capazes de colectar, agrupar, organizar, comparar e resumir as diversas estratégias culturais, formas e linguagens artísticas que escritores masculinos e femininos oitocentistas (poetas e romancistas) de diferentes décadas, proveniências sociais e nacionalidades usaram para descrever aquilo que é diferente nos portugueses, nos britânicos e nos americanos ou, simplesmente, a ‘diferença’ nesses países. Com os resultados que forem obtidos, esperamos contribuir substancialmente quer para a clarificação e a sistematização de alguns dos mais prevalentes estereótipos ocidentais quer para a documentação e estudo dos ‘imagotipos’ (Beller & Leerssen) que estavam subjacentes nas respectivas literaturas desses países durante essa época e que tiveram um impacto inegável nos séculos posteriores.