Jornadas do Conto

As Jornadas do Conto da Universidade do Minho realizam-se desde 1997 na região de Braga, geralmente na Primavera e com duração de 2-3 dias. Trata-se de uma iniciativa conjunta do ILCH, das Associações de Estudantes de Letras da UM, e Biblioteca Pública de Braga, apoiada desde o início pelo CEHUM.

Esta realização tem contado com uma grande adesão da parte de educadores de todos os níveis de ensino, da Pré-Primária ao Ensino Superior, assim como de profissionais em Educação de Adultos e Animação Cultural (nomeadamente da rede de Bibliotecas Públicas), estudantes e alunos de todas as idades e do público da região em geral.

Visa-se divulgar e desenvolver a arte do conto, enquanto tradição oral, manifestação multicultural e multilingue, dada a consciência generalizada, que existe actualmente, da importância fundamental de que reveste o acto de “contar e ouvir contar histórias”, tanto no processo educativo como na relação terapêutica, nas relações interculturais, na expressão artística, na aprendizagem da socialização e no crescimento individual.

Um pouco por todo o mundo, têm aparecido nas últimas décadas inúmeros projectos e realizações de diferentes características ligados a esta arte ancestral. Veja-se o número de Associações de Contadores de histórias, os Festivais, Estágios e Espectáculos de Contos a funcionar pelos países da Europa, nos Estados Unidos, no Canadá. Em Portugal existem há muitos anos iniciativas dispersas, quer a nível individual quer colectivo. A iniciativa das Jornadas do Conto na Universidade do Minho insere-se neste contexto mais geral de desenvolvimento cultural e artístico, funcionando como espaço de encontro de contadores de vários países, de formação nas artes do conto e de reflexão universitária sobre o fenómeno do conto enquanto manifestação cultural e artística.

As Jornadas do Conto desenvolvem-se nas instalações da Universidade do Minho e noutros espaços da cidade de Braga e compreendem uma vertente de formação, uma de reflexão, e finalmente a realização de espectáculos de contos.

A formação consiste na realização de estágios, destinados a profissionais da educação ou da saúde e dirigidos por contadores profissionais, geralmente estrangeiros. É objectivo dos estágios o contacto com metodologias inovadoras de educação e comunicação através do conto e a aprendizagem e desenvolvimento práticos a nível de técnicas de expressão.

Da formação faz também parte uma componente de reflexão, sob a forma de conferências, debates e mesas-redondas em que a arte de contar é debatida a partir de testemunhos e exemplos práticos trazidos por especialistas em educação, psicologia, literatura, sociologia, etc., assim como por profissionais do conto nacionais e estrangeiros. Estas sessões, que se realizam na Universidade do Minho, são abertas a docentes, estudantes e a todo o público interessado.

A componente espectáculos consiste na realização de sessões públicas de contos em várias línguas, quer em salas de teatro da cidade, quer em espaços mais pequenos e dirigidas a públicos também mais específicos: livrarias, escolas, instituições de apoio a deficientes, etc. ou espanhol), dirigidas por Contadores profissionais e destinadas a estudantes, docentes, animadores culturais e outros profissionais interessados.


Temas das Jornadas do Conto:
  • Artes de Contar (1997)
  • Bruxas e Ogres (1998)
  • Contos do Quotidiano (1999)
  • Contamorfoses (2002)
  • Contos de Babel (2003) Cartaz / Programa
  • Contos de Duas Caras (2004) Cartaz
  • Contos nómadas (2005) Cartaz / Programa
  • Contos de arrepiar (2006) Cartaz / Programa
  • Contos de cores e sabores (2007) Cartaz / Programa
  • Contos Inacabados (2008/2009) Cartaz

Países Participantes:
  • Portugal
  • Brasil
  • Cabo Verde
  • Moçambique
  • Timor
  • Espanha
  • França
  • Inglaterra
  • Canadá