Isabel Cristina de Brito Pinto Mateus

Edit

Contactos

Departamento de Estudos Portugueses
Instituto de Letras e Ciências Humanas
Universidade do Minho
Campus de Gualtar
4710-057 Braga


E-mail: Erro: Browser não suporta Javascript

Página Web: http://www2.ilch.uminho.pt/dep/IMateus/i...


Grupo de Investigação

GRUPO2I
PLP


Categoria Profissional

Professora Auxiliar


Atividade Profissional

Docente
Investigadora do CEHUM
Responsável (com Cândido Oliveira Martins, UCP) pela edição da Obra Completa de Maria Ondina Braga.




Qualificações Académicas

Doutoramento em Ciências da Literatura/Ramo Literatura Portuguesa, 2006, Universidade do Minho. Classificação: Aprovada por Unanimidade
Provas de Aptidão Pedagógica e Capacidade Científica, 1989, Universidade do Minho, Muito Bom por Unanimidade
Licenciatura em Línguas e Literaturas/variante Português- Francês, 1984, Universidade de Coimbra.


Áreas de Investigação de Interesse

Literatura Portuguesa dos Séculos XIX-XXI; Literatura Moderna e Contemporânea; Estudos Interartes; Grotesco; Zoopoética Estudos Saramaguianos; Estudos Llansolianos.


Projetos de Investigação

Projecto LIHAM (Limiar Homem-Animal- Máquina), investigadora integrada na rede Animots (CNRS), dirigida por Anne Simon http://animots.hypotheses.org/repertoire-de-chercheurs

Projecto PLP ; Cehum, Universidade do Minho






Publicações

(2017), “Do animal ao inanimal: figurações canídeas na obra de José Saramago”. In: Figuras do Animal (org. de Álvares, Cristina; Curado, Ana Lúcia; Mateus; Isabel Cristina e Sousa, Sérgio Guimarães), Húmus/Cehum. Em publicação.

(2017) "Fialho de Almeida e Raul Brandão: histórias de palhaços & outros laços de escrita”. In: Nos150 anos do nascimento de Raul Brandão e no centenário de Húmus, (org. Maria João Reynaud); Universidade Católica Portuguesa e Universidade do Porto. Em publicação.

(2017) “Entre as margens e o centro: Fialho de Almeida, um retrato (im)possível”. In: Revista Limite (Univ. de Cáceres). Em publicação.

(2107), “Por trás do muro: o húmus grotesco de Raul Brandão”. In: “O Sonho em Marcha”, Colóquio Internacional Evocativo do Centenário da publicação de Húmus, dir. Vitor Viçoso e Maria João Reynaud, org. Sociedade Martins Sarmento. Em publicação.

(2017), Maria Ondina Braga (Re)leituras de uma Obra (org. de Isabel Cristina Mateus e Cândido Oliveira Martins), Braga: Museu Nogueira da Silva/Espaço Maria Ondina Braga. Com o apoio do Grupo DST.

(2017), “A Raiz e a Árvore: identidade, memória e viagem em Maria Ondina Braga”. In: (Re)leituras de uma Obra (org. de Isabel Cristina Mateus e Cândido Oliveira Martins), Braga: Museu Nogueira da Silva/Espaço Maria Ondina Braga.

(2007), "Escrito com Cal e com Luz" de Renato Roque: ensaio fotográfico sobre a poética de Carlos de Oliveira: https://revistacaliban.net/escrito-com-cal-e-com-luz-ensaio-fotográfico-sobre-a-poética-de-carlos-de-oliveira-85e5b2e38f5c

https://wwwuminho.academia.edu/IsabelMateus

(2017), "Incesto, culpa e memória: Impunidade de Helder Cancela". In: https://revistacaliban.net/incesto-culpa-e-memória-impunidade-de-helder-g-cancela-169ed111fc66

(2017), "Carta a Ângela" (ed. de José Manuel Mendes, Pequenos Livros). In: https://revistacaliban.net/dizem-que-por-trás-de-cada-grande-homem-há-sempre-uma-grande-mulher-bb5332ab08db

(2016), “Valter Hugo Mãe: a máquina da criação grotesca”. In: Nenhuma palavra é exacta (org. Carlos Nogueira), Porto, Porto Editora, 324-342

(2016) “Os múltiplos rostos de Fialho”, Boletim da Associação Cultural Fialho de Almeida, Setembro 2016, nº1, II Série, Cuba, pp. 13-22.

(2016) “Lápis e linhas para desenhar uma flor de nome Almada”. In: 100 Orpheu (org. Vila Maior, Dionísio e Rita, Annabela Rita), Edições Esgotadas, 2016, pp. 501-511.

(2015) “Fragmentos & outros lugares (im)prováveis: os Diários de M. G. Llansol”. In: O Império dos Fragmentos: Llansol e a exigência fragmentária, (org. de João Barrento), Lisboa, Mariposa Azual, pp.59-73.

(2015), “A voz do mar ou da necessidade de errar a língua ao dente”. Revista Pontes de Vista, nº1, 800 anos de Língua Portuguesa (dir. de Mário Cláudio, Celeste Natário e Luísa Malato).
http://revistapontesdevista.com/2015/04/05/a-voz-do-mar-ou-da-necessidade-de-errar-a-lingua-ao-dente/

(2015), “Figuras do enigma: escritores e escrivães idiotas (Fialho de Almeida, Bernardo Soares e Herman Melville)”. In: Figuras do Enigma (org. de Álvares, Cristina; Curado, Ana Lúcia; Sousa, Sérgio Guimarães de), Cehum, Húmus, nº 34, pp. 55-68.

“(Nem) Tudo São Histórias de Amor”, Jornal de Letras, 19 de Março a 1 de Abril de 2014, p. 8

(2014) "Brincos de cerejas e pitangas: "retornados" e representação do Outro em O Retorno de Dulce Maria Cardoso" in Cristina Costa Vieira, Paulo Osório e José Henrique Manso (Coord.), Portugal Brasil África. Relações históricas, literárias e cinematográficas, Covilhã, Universidade da Beira Interior, pp. 205-226.

(2014), “Lídia Jorge: Os Memoráveis” (recensão crítica). Diacrítica (Dossier 50 anos de Luuanda, série Ciências da Literatura, 28.3, Cehum, pp. 351-356.

(2013) "Cenografias deformantes e performance dramática em Fialho de Almeida e Valle-Inclán" (em co-autoria com Xaquín Núñez Sabarís). In: Modernidades Comparadas: Estudos Literários/Estudos Culturais Revisitados,org. Eunice Ribeiro, CEHUM, nº 28, 2013, pp.33-52. Universidade de Coimbra, Universidade do Minho e Universidade de Santiago de Compostela.

(2013) "Um terraço que seja seu: notas sobre O Retorno de Dulce Maria Cardoso". In: Colóquio /Letras (Notas & Comentários), nº 182, pp. 200-209.

(2012), " Os Livros de Horas de Llansol: oratório, laboratório, escriturofania(s)". In: Llansol: a luminosa vida dos objectos (org. de João Barrento e Maria Etelvina Santos), Lisboa, Mariposa Azual, pp. 57-75.

• (2011) “O “Génio Obscuro” de Fialho de Almeida: cem anos de presença na literatura portuguesa”. In: Fialho de Almeida: Cem Anos Depois (org. de António Cândido Franco), CEL (Universidade de Évora), Editora Licorne, pp. 113-127.

. (2011) “Fialho de Almeida ou o limiar do futuro: modernidade, modernismo(s) e despolarização do real”. Congresso Internacional Portugal no tempo de Fialho de Almeida (1857-1911)”, org. do CLEPUL, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, 21-25 de Novembro (em publicação).

• (2011), “Sob o signo de Goya: diálogos ibéricos em torno do Modernismo”, Diálogos Ibéricos sobre a Modernidade (org. de Xaquín Nuñez Sabarís), col. Húmus, CEHUM: Universidade do Minho, pp.79-129.

. (2011) “Manuel da Fonseca, leitor de Fialho de Almeida: metamorfoses do grotesco em Seara de Vento”, revista Nova Síntese (textos e contextos do neo-realismo), nº 6, pp. 145-158. Comunicações do Congresso Internacional “Manuel da Fonseca: por todas as estradas do mundo”, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa/Museu do Neo-Realismo, 7-9 de Outubro.

• (2010) “Uma Data em Cada Mão” [Maria Gabriela Llansol: Livro de Horas ou a arte de meditar”], (Notas &Comentários) Colóquio/ Letras, nº 175, pp.135-144.

• (2009), José Mário Silva, “Luz Indecisa” (recensão crítica), Colóquio/Letras, nº 172.

• (2009) -“O colar de Xerazade: sedução e grotesco na poética de David Mourão-Ferreira”. In: Relâmpago (David Mourão-Ferreira), nº 24, pp. 61-75.

. • (2009) “Cultura Portuguesa e Expressionismo” de Eduardo Lourenço: uma (re)visão”, comunicação apresentada no VI Congresso InterNacional da Associação de Literatura Comparada/X Colóquio de Outono Comemorativo das Vanguardas, 6-8 de Novembro 2008, CEHUM (Centro de Estudos Humanísticos), Universidade do Minho: http://ceh.ilch.uminho.pt/pub_isabel_mateus.pdf.

.• (2009) “A Casa Grande de Romarigães”: História e (re)escrita da história (uma leitura pós-moderna)”, Aquilino Ribeiro: Voltar a Ler 3 (org. de António Manuel Ferreira e Paulo Neto); (Colóquio Aquilino Ribeiro, org. da Universidade de Aveiro/Departamento de Línguas e Culturas e Câmara Municipal de Sernancelhe, 19 e 20 de Setembro de 2009), Universidade de Aveiro, pp. 43-72.
Texto publicado em simultâneo na revista Aquilino (revista literária da Câmara Municipal de Sernancelhe), nº 2 (2010), pp. 90-112.

• (2008), “Kodakização” e Despolarização do Real: para uma poética do grotesco na obra de Fialho de Almeida, Lisboa: Editorial Caminho. [Prémio de Ensaio Óscar Lopes (2007); Prémio de Ensaio PEN Clube 2008].

• (2008) “Silva Pinto e o Realismo em Portugal: teoria e prática”. In: GAMA, Manuel (ed.), A Geração de 70: Alberto Sampaio e os “Outros”, Actas do Colóquio (18 de Abril de 2008), Centro de Estudos Lusíadas, Universidade do Minho, pp.63-77.

.“Fialho de Almeida nasceu há 150 anos”, Jornal Público, 7 de Maio de 2007, ano XVIII, nº 6247.

•(2007) “Fialho de Almeida, modelo literário de Miguel Torga”. In: A minha verdadeira imagem está nos livros que escrevi, Actas do II Congresso Internacional sobre Miguel Torga -3-5 de Maio, Coimbra (coordenação de Isabel Ponce de Leão), Vol. I, Edições Universidade Fernando Pessoa, Vol. I, pp.249-261.

.“Fialho de Almeida, Vicente Guedes, Bernardo Soares & C.ª: notas soltas para um livro do desassossego”. In: (2006), Diacrítica (série Ciências da Literatura), vol.s 20-23, Cehum, Universidade do Minho.

"Fialho de Almeida e a modernidade: as cavernas do medo e os monstros da escuridão". In: SOUSA, Carlos e PATRÍCIO, Rita (ed.) (2004) Largo Mundo Alumiado: Estudos em homenagem a Vítor Aguiar e Silva, Braga: Centro de Estudos Humanísticos/Universidade do Minho.

"Uma Secreta Ironia: A Construção de "A Casa Grande de Romarigães". In: Cadernos Aquilinianos, nº 3, 1995, Centro de Estudos Aquilino Ribeiro.

"A tentação de S. Macário: da Alegoria ao Símbolo". In: Arquivos do Centro Cultural Calouste Gulbenkian (Actas do Colóquio Internacional Comemorativo do Centenário da Publicação dos Oaristos de Eugénio de Castro, organizado pelas Universidades de Mons e Liège- Bélgica, em Novembro de 1990), Vol. XXXVIII, Lisboa-Paris: Fundação Calouste Gulbenkian, 1999.

"O Roxo e o Verde: Real e Ficção em "Maria Moisés " (co-autoria com Américo Lindeza Diogo). In: Diacrítica, Revista do Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho, nº 8, 1993 (Comunicação apresentada nas Comemorações Camilianas, organizadas pela Universidade de Coimbra em Junho de 1991).

"Maria Benigna": Romance epistolar e ausência amorosa". In: Diacrítica, Revista do Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho, nº 2, 1987.


Orientação de Teses de Doutoramento

(2014), “O Romance de Teolinda Gersão: entre a História e a Ficção”, Sara Maria Maio Ezedin Pinho (em curso).


Orientação de Teses de Mestrado

“Figurações da viagem na obra de Sophia de Mello Breyner Andresen destinada a crianças e jovens: para uma leitura dos contos O Cavaleiro da Dinamarca e Saga”, de Olívia Maria Barbosa Guimarães Marques (dissertação de Mestrado em Teoria da Literatura, área de especialização em Literaturas Lusófonas; orientação de Isabel Cristina Mateus e co-orientação de Sara Reis da Silva, Instituto da Educação, Universidade do Minho). Defendida em 19-12-2011.


Outros Dados

Prémios
29.11.07- Prémio Ensaio Óscar Lopes atribuído pela editorial Caminho ao ensaio “Kodakização e despolarização do real: para uma poética do grotesco na obra de Fialho de Almeida”
15.10. 09- Prémio de Ensaio PEN Clube 2008 "Kodakização" e Despolarização do Real: para uma Poética do Grotesco na Obra de Fialho de Almeida", Lisboa: Caminho/LEYA, 2008.
Membro da Direcção da Associação Portuguesa de Escritores (2017...)